Maria Mendonça propõe programa de prevenção voltado à juventude

Publiciado em 04/06/2018 as 20:47

A deputada estadual Maria Mendonça (PSDB) apresentou um Projeto de Lei, na Assembleia Legislativa, que institui o programa “Juventude Precavida”. A finalidade da propositura, conforme explicou a parlamentar, é estruturar na rede estadual de ensino “ações articuladas de prevenção e conscientização sobre os efeitos nocivos da ingestão indiscriminada de bebidas alcoólicas e também do uso de entorpecentes”.

De acordo com Maria, indicadores internacionais apontam um aumento expressivo do número de usuários de drogas com idade entre 16 a 18 anos. Ela enfatizou que, aliada à família, a escola pode contribuir para “ampliar a consciência sobre as implicações físicas, mentais e sociais advindas do abuso de drogas”. Por isso, para a parlamentar, é fundamental que os alunos encontrem nas nossas instituições de ensino “o suporte necessário para responderem às adversidades pessoais e sociais com atitudes cidadãs”.

Entre as ações previstas no escopo do PL está a criação de grupos de trabalhos intersetoriais para o desenvolvimento de campanhas educativas voltadas à valorização da vida. “É importante que as secretarias da Saúde e da Segurança somem esforços com a Educação para fortalecer o combate à violência, pela qual enveredam muitos jovens por causa da drogadição”, salientou Maria, ao ressaltar que essas ações terão “reflexos positivos para os mais de 150 mil alunos da rede estadual e, consequentemente, para a comunidade sergipana como um todo”.

Nesse contexto, acrescentou Maria, será também imprescindível garantir suporte aos pais ou responsáveis sempre que necessário para reinserção social do aluno. “A conscientização da nossa juventude sobre seus direitos e deveres fará com que ela assuma o protagonismo de suas próprias vidas e do futuro do nosso país”, pontuou a deputada, que considera ser preciso estimular a discussão e instrumentalização de meios na prevenção e combate ao uso de drogas e bebidas alcoólicas, para “inibir esse mal impregnado em nossa sociedade”.