Movimentação em defesa de Lula reúne centenas de manifestantes e mobiliza comitê em Aracaju

Publiciado em 05/01/2018 as 07:43

No dia 24 de janeiro, em Porto Alegre, haverá uma grande movimentação em defesa de Lula. A Jornada da Democracia ocorre no dia em que o ex-presidente Luiz Inácio será julgado, no TRF-4, em segunda instância de recursos da defesa contra acusações da força tarefa da Lava Jato. O vice-presidente nacional do PT e ex-deputado federal, Márcio Macêdo, estará presente no ato e faz um convite para que todos possam acompanhar a iniciativa, que prevê a participação de centenas de militantes. Márcio também é um dos responsáveis pela criação de comitês em defesa de democracia em todo o país. Aracaju já conta com sua sede.

“Dia 24 tem que ser um movimento cívico do Brasil em defesa da democracia, da inocência de Lula e da justiça. Vamos todos a Porto Alegre fazer movimentação em apoio ao ex-presidente. Esta é uma iniciativa que não é só do PT, é do PCdoB, de todos os partidos de esquerda, dos movimentos sociais e dos brasileiros e brasileiras que defendem a democracia, o estado democrático brasileiro e o direito de Lula ser candidato em 2018”, destacou Márcio.

O Movimento dos Trabalhadores Rurais Sem Terra (MST), a Central Única dos Trabalhadores (CUT), a Central dos Trabalhadores e Trabalhadoras do Brasil (CTB), a Via Campesina e outros movimentos populares estão se articulando para participar do ato no dia 24 e de outras ações que precedem o dia do julgamento. Caravanas de diversas cidades do país também estão sendo organizadas com o objetivo de apoiar Lula em Porto Alegre.

Dilma Rousseff, em vídeo publicado no Facebook Oficial do PT, reforçou que a mobilização do dia 24 é importante para defender a democracia e a oportunidade de Lula candidatar-se a presidente neste ano. “Estaremos juntos, em Porto Alegre, ao lado de Lula: o candidato do povo brasileiro à Presidência da República”. Ela afirma ainda que “uma disputa eleitoral sem a participação dele será um brutal golpe na democracia e só servirá para dividir ainda mais o Brasil”.

O deputado Paulo Pimenta, que lidera o Partido dos Trabalhadores na Câmara, declarou que o recurso analisado no próximo dia 24 é de um julgamento ilegal. “Lula foi condenado sem crime. Isso evidencia que ele está sendo injustiçado e é perseguido por tudo aquilo que representa. E só há uma maneira de barrarmos essa nova fase do golpe: é com a mobilização, na luta, nas ruas e nas redes. E por isso nós estaremos esperando vocês no Rio Grande do Sul. O estado está preparado para transformar este mês em um janeiro histórico, no qual milhares de pessoas na rua vão derrotar o golpe e exigir a inocência de Lula”.

Em apoio à defesa de Luiz Inácio, circula pela internet um manifesto titulado "Eleição sem Lula é fraude", que, nesta quinta-feira, 04, já atingiu 126.000 assinaturas, dentre elas as de artistas, intelectuais, lideranças de movimentos sociais e políticos internacionais. A intenção do documento é denunciar a perseguição política sofrida pelo ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva nos processos envolvendo as investigações da Operação Lava Jato.

Comitês populares

Com o objetivo de articular movimentos populares, sindicais, sociais, artistas, sociedade civil e toda militância petista, assim como os partidos do campo democrático e popular, estão sendo criados, em todo o país, os Comitês Populares em Defesa da Democracia e do Direito de Lula ser candidato à Presidência da República.

Em Aracaju, o comitê já está funcionando na sede municipal do PT. A executiva municipal do partido realizou reuniões nas quais aprovou uma resolução constituindo-o e convocando para uma plenária de mobilização em defesa de Lula, que será realizada no dia 06 de janeiro.